29 de julho de 2008

Até que enfim. Infelizmente.

Após 8 anos no comando da seleção brasileira de vôlei masculino, pela primeira vez o técnico Bernardinho vê seu time fora do podium. Isto, sendo que após o inicio da “era Bernardinho” (em 2001), esta é a segunda vez que a equipe não conquista o título da Liga. Por coincidência, na ocasião a disputa também foi no Brasil (Belo Horizonte), e a seleção ficou com o vice-campeonato ao perder para a Rússia em Belo Horizonte.

Para muitos, ficar fora da final e perder a disputa de terceiro lugar foi um absurdo, mas para quem já praticou algum esporte sabe que foi perfeitamente normal. Acredito que este resultado demorou para vir, tendo em vista o excelente nível dos adversários e a quantidade de torneios que a seleção disputou.

Até o momento, o saldo da era Bernardinho é espetacular. Apenas uma vez fora dos 3 primeiros colocados e um atleta fora da “família”.

Estes resultados mostram o poder de uma geração vencedora e os resultados gerados por uma boa administração.

O Brasil irá continuar sendo “o país do futebol”, mas hoje em dia é muito comum crianças jogando vôlei pelas ruas e praias, pessoas desfilando com o uniforme da seleção e empresas investindo no esporte.

Acredito na relação entre investimentos e resultados. O vôlei se estruturou profissionalmente em todas áreas (preparação física, medicina, fisioterapia, psicologia entre outras), investiu em um centro de treinamento para as seleções, e hoje é considerado um centro de excelência na modalidade. A seleção juvenil há tempos vem obtendo ótimos resultados o que revela que iremos continuar colhendo frutos no time principal.

Em contra partida vemos o basquete nacional passando por um período conturbado (e longo) na espera de resultados para enfim decidir investir. Como eu falei, há uma relação entre investimentos e resultado, mas a ordem dos fatores tem de ser esta, pois resultados sem investimentos não são comuns.

Contudo, os quatro times de vôlei nacional (masculino e feminino, de quadra e de praia) continuam favoritos ao ouro olímpico e nós continuamos na torcida. Basta apenas algumas pessoas entenderem que os resultados vão muito além de medalhas e troféus.

Um comentário:

Eduardo Marques disse...

Concordo, sem tirar nem pôr.