9 de fevereiro de 2009

Phelps e Kellogg, a primeira baixa

O astro da natação Michael Phelps, flagrado fumando maconha começou a sentir os resultados de seu ato no bolso. O nadador que já havia sido suspenso por três meses, recebeu o comunicado oficial da marca, com a informação que seu contrato, que expira no final de fevereiro, não será renovado.

A empresa acredita que o comportamento do nadador não é mais compatível com a imagem que deveria ser passada para as milhares de pessoas ao redor do mundo. O astro norte-americano brilhou nos últimos jogos olímpicos e conquistou muitos patrocínios depois da competição. Confira os posts sobre o nadador: MAIS UMA PRO PHELPS, PHELPS & SUBWAY, NEM NIKE, NEM ADIDAS... , MICHAEL PHELPS O MAIOR MEDALHISTA OLÍMPICO, O PATROCINIO QUE DÁ CERTO.

De quebra, o time olímpico dos EUA também não terá o contrato renovado com a Kellogg, que encerrou em dezembro.

Esta foi a primeira baixa de patrocínio do maior medalhista olímpico de todos os tempos, e provavelmente não será a última. Concordo que a cena é pesada e poderia acarretar em coisas ruins para a empresa, contudo, fico pensando se isso tudo não poderia ser um gancho para uma grande campanha publicitária. Foi uma cena terrível, ainda mais falando de um esportista, mas eles, assim como todo mundo, são pessoas normais, que podem errar. As vezes é hora de trabalhar o outro lado do campeão...

2 comentários:

Bartira Pontes disse...

Na boa, acho tudo um grande exagero. É mais inacreditável que exista um super atleta medalista como o Phelps, do que um cara da idade dele que não fume/fumou maconha.

Existe um muita gente que não fuma maconha. E existe muita gente que fuma. E alguns deles são atletas.

Precisamos mesmo viver neste mundo de faz-de-conta e se horrorizar com estas coisas? O que realmente podemos fazer além de cancelar patrocínios e se horrorizar?

Bruno disse...

Bartira, você tem razão. Hoje, muitas empresas ainda fantasiam mundos e criam cenários totalmente irreais para suas marcas. Claro que não há como pregar o "errado" (se existe), mas também não podemos esconder os fatos.
Em uma boa conversa, o Dida disse algo que tem muita razão: o "topo" da carreria desses atletas (principalmente natação) ocorre muito cedo e eles não estão maduros e nem podem ser cobrados como tais. Cancelar patrocínio é realmente muito fácil...