27 de fevereiro de 2009

Vamos olhar mais para as crianças

Estava procurando alguma coisa bacana para postar e comentar aqui no Radar Esporte. Alguma novidade, notícia bombástica, campanha legal ou alguma oportunidade. Acho que essa é uma das grandes missões de nós publicitários, encontrar buracos para construir grandes negócios.

Hoje em dia, está muito difícil colocar a marca no dia-a-dia das pessoas de forma relevante, criar um elo entre empresa e consumidores que seja forte o suficiente para durar algum tempo. No marketing esportivo isso pode se tornar ainda mais difícil, uma vez que os telespectadores cada vez mais têm menos interesse por “publicidade”, querem saber apenas do evento, do jogo, do jogador...do “conteúdo”. Se não for bem feito, as pessoas não vão nem notar as marcas.

Ontem, ouvi o @Marcelo Tas dizendo em seu discurso na formatura da Cásper Líbero que “na dúvida, perguntem as crianças”. Talvez elas, as crianças, tenham muito mais poder do que imaginamos, e podem ser a solução de alguns problemas, ou até possam ser a oportunidade que muitas pessoas buscam.

As leis estão sendo cada vez mais firmes com relação à publicidade para criança, e essa é uma discussão que não tem fim. Se é certo ou errado, não cabe aqui discutir, mas o fato é que não precisamos usar apenas da publicidade para atingir estes futuros consumidores. Hoje, as crianças influenciam nas compras dentro de uma casa (estima-se em 80% de influência na escolha dos produtos), decidem o conteúdo que consomem (sim, elas já usam o controle remoto há tempos...) e amanhã terão realmente o poder de compra. Interessante, não?

Já que o esporte é uma atividade saudável, que é importante para a vida de todo mundo, que não é nada prejudicial às crianças, as empresas poderiam juntar a fome com a vontade de comer. Oferecer produtos, serviços, conteúdos benéficos a estes futuros consumidores, e criarem elos representativos para seus negócios.

Parece básico, pode ser óbvio, mas foram poucas as iniciativas legais com as crianças que eu já vi de marketing esportivo. E não precisam ser apenas de empresas esportivas, as crianças e o esporte podem representar muito para todas as empresas.

Portanto, olhem para as crianças...



Um comentário:

Fabrício disse...

Com certeza as crianças podem ser a porta de entrada para o sucesso de marcas no futoro. Cada vez mais difícil se diferenciar, é bem importante este elo, realmente.