2 de abril de 2009

Cadê o público?

Ontem o Brasil ganhou do Peru por 3 a 0 no Beira Rio em mais uma partida das Eliminatórias.O jogo teve clima de festa, o Brasil apresentou um bom futebol...tudo como mandava o figurino. Mas onde estava o público?

As arquibancadas superiores estavam vazias. Muitos ingressos ficaram na mão de cambistas, que antes da partida queriam desesperadamente vender as entradas por R$25,00 (preço original R$70,00).

Fatos como este estão se tornando comuns, principalmente em partidas da seleção, onde deveríamos ter lotação máxima. São alguns pontos que devem ser analisados:

1.O preço dos ingressos. Alguns defendem que o preço tem que ser alto, uma vez que é um espetáculo, que os preços lá fora são muito mais elevados e para tentar diminuir a violência nos estádios. Outros acham que tem que diminuir para termos lotação máxima em todos os jogos, o que seria muito bom para o espetáculo.

2.Venda dos ingressos. As bilheterias físicas são excelentes para os cambistas e geram desorganização. Será que conseguimos fazer a venda online? Apesar de termos praticamente 1/3 da população brasileira com acesso à internet, ainda não conseguimos fazer vingar essa prática. Uns defendem a prática acessível para todos (bilheteria) e outros defendem a organização (internet) para dificultar a ação dos cambistas.

Um jogo do Brasil é motivo de lotação em todos os lugares do mundo, independente do adversário. Justo no nosso país não conseguimos fazer disto um grande evento.
Algumas empresas aproveitaram a partida para fazerem ações com clientes. Camarote, transporte, comida, bebida e festa depois. Um prato cheio para estreitar o relacionamento entre marca e cliente, mas mesmo assim é muito pouco perto do potencial que poderia ser explorado.

E vocês, o que acham sobre as questões acima?

Um comentário:

Fernando disse...

É...e Brasil hein hehehe, acho que mesmo com toda história, todo o glamour em torno da seleção penta-campeã mundial, tem muita cartolagem rolando e isso deixa nós torcedores com receio sobre nossa seleça, de repente Dunga nunca técnico vem convoca alguns jogadores que mal seriam titulares em clubes no Brasil, óbvio que rola a desconfiança, tem gente que torce pra seleção perder pra ver o Dunga fora o mais rápido por causa da Copa.... Mas o cara chegou ganhou a Copa América com jogadores contestados e mais venceu do que perdeu. Devido a essas turbulências o público deixa de ter vontade de ir ao estádio, então outros problemas vêm e batem de frente, preço, localidade, segurança, infelizmente é difícil para um pai levar sua família a um jogo, mesmo sendo de uma torcida só...isso que estamos falando de eliminatórias... um Brasil e Peru por exemplo, imagina uma Copa aqui, imagina as outras torcidas indo com as famílias aos estádios... com todos esses erros citados acima. Olha vamos rezar porque muita coisa tem que mudar para não passarmos vergonha.
Voltando, sempre vamos ter dois pontos de vista por isso acho difícil o fim das bilheterias, quem faz o espetáculo nas arquibancadas são os torcedores mais humildes financeiramente, o acesso deles aos ingressos serão nas bilheterias e se isso acabar com certeza os "grandes espetáculos" vão deixar de ter todo esse brilho, pelo lado moderno teríamos mais segurança tanto na hora da compra(também depende, devido aos hackers de plantão que com certeza tirariam proveito para arrumarem ingressos de graça, os SAC dos bancos iriam ficar loucos de tantas ligações)na entrada do jogo, organizando em 5min todos estariam em seus lugares como na Europa. São dois pontos fortes, se for possível unir os dois o futebol brasileiro e sua torcida agradecem! Enquanto isso a gente vai dando um jeito pra acompanhar a seleção e sua caminhada rumo a Copa.