15 de janeiro de 2009

Kaká. Fazendo história.

Os olhos do mundo do futebol estão em Kaká. O jogador recebeu uma proposta de R$ 338 milhões para se transferir ao Manchester City, atual clube de Robinho (negociado por R$ 96 milhões). Pelo sim e pelo não, Kaká pode fazer história. Se aceitar a proposta, Kaká, além de ter o maior contrato do mundo, dará mais fôlego ao sistema vigente no futebol atual, onde transações milionárias são cada vez mais comuns; mas, se recusar a maior oferta da história deste esporte, o ídolo brasileiro pode representar um efeito que talvez sentiremos bem lá na frente.

Kaká não nega, ele está tentado com a proposta do clube inglês. Mas ao mesmo tempo o jogador hesita em dizer 'sim' pois, segundo ele próprio, o Manchester City representa uma fortuna imediata e também uma incógnita em termos profissionais - apenas para lembrar, o time de Robinho é o 15o colocado na Liga Inglesa e não disputa o principal interclubes da Europa. A ida para o Manchester City pode diminuir sua visibilidade no cenário internacional, o que o levaria a perder a chance de lucrar com contratos publicitários, como acontece hoje.

Kaká já revelou em outras entrevistas que tem vontade de seguir no Milan até o final da sua carreira, e é por isso que a possível negativa do jogador pode representar uma volta aos tempos de "amor à camisa". O Kaká tem um grande potencial para ser um dos maiores jogadores da história deste clube, senão o maior. Maldini, por exemplo, está há tanto tempo no clube que confundem a carreira do atleta com a história recente do clube. O Milan é uma das exceções no futebol mundial, eles sabem cultivar e preservar seus ídolos. Kaká não está só preocupado com o valor do contrato e seus patrocinadores, ele sabe que há muito mais em jogo no Milan. Há 'vida' após a saída do atleta dos gramados, e Leonardo, ex-atleta do clube, é um bom exemplo disto - imaginem como poderia ser para Kaká.

Esta possível transação acaba levantando de novo uma discussão já quase antiga: será que a FIFA não deveria estipular tetos salariais para os jogadores de futebol, como já acontece com os jogadores da NBA? Este tipo de medida é fundamental para (tentar) manter as principais estrelas do time e criar vínculo com a torcida. É impossível não citar exemplos como o de Michael Jordan e Pelé, que fizeram história nos muitos anos que jogaram por seus times.


É claro que, como toda discussão, há seus prós e contras, mas acredito que as cifras negociadas no mundo do futebol estão ficando cada vez mais altas e hoje não é possível dizer até quando os caixas dos clubes irão aguentar. E isso contribui negativamente para a construção da mentalidade dos jogadores, é só dinheiro, dinheiro e mais dinheiro. Chega um ponto onde o dinheiro já é tanto que não faz tanta diferença receber mais. Vale o prazer de ser campeão em um clube reconhecido mundialmente, de ter uma torcida que o idolatra e uma cidade que é praticamente sua.

Com certeza Kaká tem uma difícil decisão pela frente. Mas pensemos no que a recusa do jogador, um forte formador de opinião, poderia representar para outros jogadores do mundo, inclusive do Brasil.

5 comentários:

Max Ferreira disse...

E quem está por trás de toda essa dinheirama ? Só os petro-dólares do dono do time ?

Patrice Lamiral disse...

Que estranho isso. Tenho ouvido que a era das transações multi-milionárias no futebol estava chegando ao fim. O negócio não está mais tão rentável e os clubes estão buscando alternativas mais realistas. Resumindo, a bolha do futebol estaria estourando. O que você acha?

Bruno disse...

Caro Max,
O Manchester City, assim como o Chelsea possuem donos. Nestes casos, quando o clube possui um proprietário, os times são mais um bem dessas pessoas, então a fonte de renda se mistura dentro de um bolo de propriedades e fonte.
A fonte vem do petróleo e de mais negócios do proprietário.
É uma grande dúvida para todos.

Dida disse...

Patrice, também tenho ouvido falar isso. Este parece ser um daqueles momentos onde várias coisas acontecem em paralelo, mas, no fim das contas,tudo para o mesmo rumo. Acho que a bolha do futebol ainda não deve estourar, mas há sinais claros de que este sistema é falível. Como o Max disse, também há a questão dos petro-dólares, que é algo ainda muito forte, mas a minha opinião é um pouco forte sobre esse assunto: acho que eles não se seguram por muito tempo, e aí a bolha vai estourar FEIO.

Bruno disse...

Segue notícia fresca:
http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/0,,MUL956753-9842,00-JORNAL+REVELA+EXIGENCIAS+DE+KAKA+PARA+ASSINAR+COM+O+MANCHESTER+CITY.html

Por enquanto não é nada oficial. Acredito que mais muitos boatos vão surgir!