11 de novembro de 2009

Avanti Palmeiras | Mais um sócio-torcedor

Depois de alguns bons meses trabalhando nos bastidores e com o apoio da Consultoria Groove, eis que o Palmeiras lançou seu programa de sócio-torcedor - Avanti - ontem e contou com a presença do goleiro Marcos. O ídolo foi protagonista na apresentação - inclusive como o primeiro sócio (000.000.001) - que contou também com representantes do Bradesco e do presidente Belluzzo.

O programa sócio-torcedor do Palmeiras vem ao encontro de tudo o que conhecemos neste segmento. Os participantes terão descontos nos ingressos, poderão comprar antes do restante e ainda o clube estuda outros benefícios com outros parceiros. O Palmeiras pretende fechar o estádio apenas com pessoas ligadas ao programa.

Fico me questionando até que ponto isso tudo vale à pena. Em conversa com amigos e conselheiros do clube sempre escuto "quem torce para o clube tem que ser sócio, dar dinheiro para ajudar etc..." e agora parei para pensar nessa questão. Se por um lado o torcedor investe e colabora com a carteira do clube, por outro ele deve e merece receber algo em troca. É a compra de um produto/serviço que necessita ter cobrança, pós-venda e outros pontos que são ligados a esta relação.

Comprar o ingresso antes que todos e ter acesso garantido aos jogos (pagando ingresso, claro), inclusive aqueles de Libertadores que com certeza irão lotar é um bom motivo para você se tornar sócio? Para alguns com certeza sim, porém, para outros não. Neste sentido, acredito que a Groove e o Palmeiras poderiam ter sido mais audaciosos. É claro que o projeto ainda está em fase de lançamento e que novidades devem vir mais pra frente, mas o clube perdeu a oportunidade de sair com algo diferenciado desde o início. Além disso, estamos falando nada mais nada menos de Palmeiras, um dos maiores clubes do país, que vai marcar presença no mais importante campeonato da América do Sul e que tem investido pesado tanto em jogadores como em iniciativas de marketing diferenciadas.

Como está no título, é apenas "mais um sócio-torcedor" e não "O sócio-torcedor". Acho que os clubes devem pensar cada vez mais em consumidores e não em torcedores. Apesar do fanatismo, da paixão, do amor que existe nessa relação, são pessoas que investem tempo e dinheiro em "marcas".

A briga pelo consumidor hoje em dia ultrapassa barreiras de mercado. Se um parque de diversão for analisar a concorrência, deve pensar em recarga de celular pré-pago, vídeo-game, cinema, internet e uma série de outros elementos que mexem com o bolso e com o tempo do target. No futebol também encontramos isso. O concorrente do Palmeiras não é o Corinthians, o torcedor dificilmente irá mudar o clube do coração, mas o time concorre com a internet, com o cinema e com estes outros elementos.

Como ganhar share na vida deste torcedor então? O sócio-torcedor pode ser uma resposta, mas desde que funcione realmente como um programa de relacionamento com vantagens para os dois lados.

As possibilidade são muitas, mas os clubes ainda não acertaram...

Postado por Bruno e Dida

Foto: Globo.com

6 comentários:

Diego Iwata Lima disse...

Bruno,

Concordo integralmente. Para tanto tempo de gestação, o Palmeiras já deveria ter chegado a esse lançamento com algo mais inovador. Por outro lado, é importante que lembremos que estamos falando do Palmeiras, uma das entidades mais arcaicas em termos de marketing, greças aos 12 anos de Mustafismo. De repente, começar devagar é uma boa estratégia para dobrar conselheiros e sócios mais quadrados, que existem aos montes quando estamos falando do vecchio Palestra. Abraços.

Badu disse...

Acho que o programa Avanti tem mais a oferecer do que só os ingressos e com isso inova sim. O Programa foi pensado como um programa de fidelidade tendo um programa de pontos, benefícios "soft e hard" e uma gestão de dados profissional que buscará rentabilizar a base de dados de torcedores/consumidores e atrair mais parceiros em busca de ativaçào e fidelização, utilizando a marca do Palmeiras que é muito poderosa.

Acho que vocês e toda a torcida irão se surpreender. Acho que com a nossa ajuda, o programa poderá crescer e ser realmente o maior do futebol. Abraços.

Fernando disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando disse...

Olha pelo que vi nos outros clubes o Palmeiras tem o melhor plano sócio-torcedor, acho que poderia ter inovado e ousado mais, já que foi o último clube a ter o plano.
O plano esta bem parecido com o do Real Madrid, que em termos de MKT vem se destacando já faz um tempo no cenário mundial. http://madridista.realmadrid.com/cs/Satellite/carnet-madridista/contenido/nacional/esp/ventaja/-1.html

O Real óbvio que atinge o cenário mundial por isso eles tem a carterinha para as pessoas que não moram em Madrid. http://madridista.realmadrid.com/StaticFiles/CarnetMadridista/flash/index.html

Se os clubes brasileiros querem realmente ganhar dinheiro e destaque no mundo é algo para se pensar, até usar os jogadores que fazem sucesso lá fora como garotos propaganda...

Bruno disse...

Buda,a questão do programa buscar a rentabilidade da base dados e atrair mais parceiros buscando ativação e fidelização é o principio básico de todo programa deste tipo.
Como postamos, entendemos que está no inicio e tem muito a evoluir, porém foi lançado como mais um, apenas.
O que insistimos tanto é que os clubes devem ultrapassar essa linha do "comum", como algumas vezes vemos os clubes do Rio Grande do Sul, Cruzeiro, São Paulo F. C. e Corinthians (citando alguns apenas) fazerem. E fazem apenas algumas vezes mesmo, o que mais vemos são ações que causam buzz (atenção espontânea e momentânea) e param por ai.
Estamos na expectativa de ver um programa realmente inovador e do tamanho que o clube merece.
Por enquanto, o posicionamento desejado (que você disse) está diferente do posicionamento percebido, sendo um programa bom realmente, mas comum.

Bruno disse...

Diego, essa visão também tínhamos há algum tempo. O tamanho do clube era refletido no que conseguíamos enxergar de burocracia que faziam as ações não acontecerem, mas aos poucos vimos o clube evoluir nesse sentido com ações mais ousadas, o que não foi refletido nesse programa. Parece que deram uma pisada no freio..